botões de seguimento

al berto

Noutros tempos
quando acreditávamos na existência da lua
foi-nos possível escrever poemas e
envenenámo-nos boca a boca com o vidro moído
pelas salivas proibidas - noutros tempos
os dias corriam com a água e limpavam
os líquenes das imundas máscaras

hoje
nenhuma palavra pode ser escrita
nenhuma sílaba permanece na aridez das pedras
ou se expande pelo corpo estendido
no quarto do zinabre e do álcool - pernoita-se

onde se pode - num vocabulário reduzido e
obsessivo - até que o relâmpago fulmine a língua
e nada mais se consiga ouvir

apesar de tudo

3 comentários:

  1. apesar de tudo
    nenhuma palavra por ele escrita
    permaneceu na aridez das pedras
    (vieram todas morar connosco)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ainda bem que vieram moram connosco :-)

      Eliminar
  2. …e não pagam renda nem nada...

    ResponderEliminar